Estruturando o controle da Empresa

Iniciamos uma série de assuntos ligados a gestão de pequenas e médias empresas.

Nessa primeira etapa estaremos apresentando um modelo de estrutura dos processos financeiros para o varejo (produtos e serviços). Esse modelo é mutável de acordo com o “tamanho” da Empresa e a complexidade de seus controles.

Apesar desses controles podem ser realizados de diversas formas, destaco dois pontos importantes:

1. O sistema de gestão – ERP

2. O profissional que estará tratando as informações desde a alimentação correta do sistema até a elaboração dos relatórios para análise.

Aliás esse é o principal objetivo desses controles: oferecer ao gestor os dados necessários para avaliação de resultados e tomada de decisões que envolvem ações corretivas para redução e adequação de custos até a definição de estratégia de vendas.

O objetivo das Empresas é gerar resultados operacionais positivos. Somente dessa forma a Empresa poderá cumprir seu papel social e atingir a perenidade.

Na área financeira temos diversos processos:

Contas a Pagar, Contas a Receber, Fluxo de Caixa, DRE – Demonstrativo de Resultado do Exercício, Fechamento de Caixa, Conciliações de Bancos, Conciliações de Cartões de Débito e Crédito, Definição do Custo do Produto ou Serviço, Mark Up, CMV – Custo da Mercadoria Vendida.

Verificamos que as Empresas normalmente relegam esses controles a segundo ou terceiro plano, focando quase exclusivamente suas ações para vendas e compras.

No entanto, o controle efetivo dessas informações são fundamentais para a avaliação do desempenho do negócio. Nosso objetivo é desmistificar esse assunto. Então vamos…

O primeiro ponto que gostaríamos de tratar é a definição da importância da Empresa manter em seu quadro de pessoal alguém focado exclusivamente para essa área financeira pois trata-se de tarefa diária em que a atenção e conhecimento são fundamentais.

Esse será nosso próximo assunto: traçar o perfil desejado para a função.