Falar com o Financeiro, dói o estômago

“Falar com o financeiro da dor de estômago”. Essa frase foi exaustivamente pronunciada por uma empresária, sempre que o Financeiro apresentava os números da empresa. Esses números consistiam em DMR - Demonstrativo Mensal de Resultado, Fluxo de Resultado, Custo de Produtos.

Apesar de parecer estranho, a Sócia de uma empresa estar incomodada com essa relação, isso acontece mais vezes do que imaginamos.

Verificamos um grande foco das empresas na área comercial, marketing, no relacionamento com clientes. Mas, é fundamental mudarmos esse panorama. Precisamos fortalecer os controles.

Na máxima “ O que não é medido não pode ser Gerenciado” está a base para desenvolvermos nas empresas o foco nos controles. Definir claramente as metas, o resultado operacional desejado, a evolução do Fluxo de Caixa, a rentabilidade dos produtos, o nível dos estoque e equilíbrio de compras, custo da folha de pagamento, dentre outros. Não só definir, implantar e acompanhar os controles e resultados, garantindo assim atingir os objetivos traçados.

Esse conceito deve estar associado ao Branding e aliados fortalecerão a experiência do cliente com a marca.

Não existe área preponderante. Cada uma tem sua importância para garantir a perenidade da empresa. O marketing, buscando atrair os clientes, a comunicação para manter o relacionamento com os clientes e os controles - financeiro, contábil, pessoal e materiais.

Definindo o Modelo de Negócio - DNA da empresa - aliando a expectativa da marca com os os clientes e controlando os seus números, a “ dor no estômago” passará.